P.A.M. – Património, Artes e Museus

Início » cultura » Jardim de Verão

Jardim de Verão


Via

Para comemorar os seus 60 anos de vida, a Fundação Calouste Gulbenkian apresenta uma programação especial com concertos, filmes, workshops, sessões de leitura e outros eventos, que contam com a colaboração de vários programas e serviços da Fundação. O Jardim de Verão começa a 23 de Junho.

A exposição Linhas do Tempo. As Colecções Gulbenkian. Caminhos Contemporâneos é inaugurada no dia 23 de Junho e mostrará as relações entre a colecção do fundador e a colecção moderna, como arranque simbólico para o programa que assimila diferentes tipos de artes em vários espaços da Fundação. Nesta ocasião será também apresentado o projecto Convidados de Verão no Museu Calouste Gulbenkian, que coloca em diálogo peças da colecção permanente do Museu com o trabalho de artistas contemporâneos, bem como algumas obras desenvolvidas por Fernanda Fragateiro para locais específicos do Jardim Gulbenkian, onde vai decorrer grande parte dos eventos do Jardim de Verão.

No primeiro dia do Jardim de Verão, o Anfiteatro ao ar livre recebe um concerto de Les Amazones d’Afrique(23 Junho, 21h30), um colectivo formado por mulheres do Mali, entre as quais está Mariam Doumbia, metade da famosa dupla Amadou & Mariam, com um forte discurso de combate à violência contra as mulheres. Este será o primeiro de vários concertos no Anfiteatro ao ar livre que incluem, entre outras, actuações de Waldemar Bastos (24 Junho, 21h30), da Orquestra Gulbenkian com Carlos do Carmo e Ivan Lins (25 Junho, 21h30), e ainda de Anoushka Shankar (3 Julho, 21h30).

O legado arménio deixado por Calouste Gulbenkian também não será esquecido nestas comemorações: haverá concertos, workshops, conferências e filmes sobre cultura arménia, com destaque para a actuação a solo de Tigran Hamasyan (1 Julho, 21h30), também no Anfiteatro ao ar livre. Virtuoso do piano nascido na Arménia, Hamasyan cruza influências como a música folk arménia, o jazz, o rock, a electrónica e a poesia.

Outros concertos decorrerão um pouco por todo o Jardim e na Sala Polivalente, com elementos da Orquestra Gulbenkian e outros agrupamentos, entre os quais Os Músicos do Tejo (25 Junho, 16h). Do Reino Unido, chega a proposta do Sacred Sounds Choir (26 Junho, 18h30), um grupo de mulheres da zona de Manchester que, por meio da música, celebram as suas diferentes etnias, religiões, idades, línguas e culturas.

Haverá ainda várias Sessões de leitura para crianças e jovens, com convidados como Pedro Lamares, Marta Madureira, André Letria, David Machado, Djaimilia Pereira de Almeida e João Fazenda.

O cinema também integra a programação do Jardim de Verão, com a projecção da trilogia de Miguel Gomes, As Mil e Uma Noites, que terá os seus três volumes – O Inquieto, O Desolado e O Encantado – exibidos no Anfiteatro ao Ar Livre entre 27 e 29 de Junho.

Duas outras noites no Anfiteatro ao ar livre (26 e 30 Junho) serão dedicadas a Filmes da Coleção Moderna do Museu Gulbenkian: “O Lugar da Voz”, “Estado de Alerta” e “Lugares da Obra” são os títulos genéricos deste programa que inclui filmes de Vasco Araújo, João Onofre, João Tabarra, Jan Fabre, Jane & Louise Wilson, Fernando José Pereira, Pedro Barateiro, Lida Abdul e Rui Calçada Bastos, entre outros. No dia 30 de Junho, será também projectado o documentário Amadeo de Souza-Cardoso. Le dernier secret de l’art moderne (2016), de Christophe Fonseca, realizado no contexto da exposição dedicada a Amadeo de Souza-Cardoso no Grand Palais, em Paris, patente até 18 de Julho.

Um dos pontos altos da programação será o espectáculo Ópera na Prisão (30 de Junho), um dos projectos do Partis – Práticas Artísticas para a Inclusão Social, uma iniciativa do Programa Gulbenkian de Desenvolvimento Humano que procura criar pontes entre comunidades que habitualmente não se cruzam, numa perspectiva integradora e usando as práticas artísticas. No dia 30 de Junho, jovens reclusos do Estabelecimento Prisional de Leiria que integram este projecto subirão ao palco do Grande Auditório para interpretar a ópera D. Giovanni, de Mozart, juntamente com a Orquestra Gulbenkian.

No dia 20 de Julho, as comemorações dos 60 anos da Fundação assinalam o Dia Calouste Gulbenkian, durante o qual será entregue o Prémio Gulbenkian deste ano. A cerimónia será seguida por um concerto da Orquestra Gulbenkian e Mário Laginha, com o Maestro Pedro Neves, no Anfiteatro ao ar livre.

Programação

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: