P.A.M. – Património, Artes e Museus

Início » arte » Colecção “SEC”. Abertura da exposição no Museu do Chiado está garantida – Vassallo e Silva

Colecção “SEC”. Abertura da exposição no Museu do Chiado está garantida – Vassallo e Silva


Via
sec03

O director-geral do Património Cultural esclareceu hoje (10/7) que está garantida a abertura, na próxima quinta-feira, da exposição “Narrativa de uma colecção-Arte portuguesa na Colecção SEC (1960-1990)”, no Museu do Chiado, apesar da demissão do director David Santos.

A maioria das obras que vão ser expostas provém do núcleo da chamada colecção da Secretaria de Estado da Cultura, que está à guarda da Fundação de Serralves, no Porto, no âmbito do protocolo assinado em 1997.

“As obras vão estar no Museu do Chiado, em Lisboa, e, terminada a exposição, daqui a um ano, voltam para Serralves”, disse à Lusa o director-geral do Património Cultural, Nuno Vassallo e Silva, que realçou nunca ter estado em causa este depósito.

A colecção do Estado esteve sob a tutela da Direcção-Geral das Artes (DGArtes) até ao ano passado, e o actual secretário de Estado da Cultura decidiu passá-la para a da Direcção-Geral do Património Cultural (DGPC), por despacho publicado em 2014, tendo, por decisão do titular, voltado para a tutela da DGArtes, “mas nunca esteve em causa o protocolo de depósito celebrado com a Fundação de Serralves”, disse à Lusa Vassallo e Silva.

O director-geral do Património Cultural acrescentou ainda que “é totalmente falso que a DGPC ou algum dos seus responsáveis tenha pedido ao secretário de Estado da Cultura, que lhe fosse revogado o despacho que lhe afectava a colecção”.

A colecção da secretaria de Estado da Cultura foi iniciada em 1976, pelo artista Fernando Calhau, que viria a dirigir o antigo Instituto de Arte Contemporânea, e é composta pelas várias aquisições artísticas feitas pelo Estado, sendo constituída por cerca de mil peças, 550 das quais se encontram em depósito na Fundação Serralves. Outras estão na Câmara de Aveiro e outras ainda em gabinetes institucionais, segundo o responsável da DGPC.

Nuno Vassallo e Silva afirmou que “o importante é inaugurar uma exposição totalmente inédita, tal como estava programado, e que se deve à boa colaboração com Serralves”.

Após a demissão do director David Santos, na passada quarta-feira, Serralves disponibilizou dois curadores, “conhecedores da colecção”, e que já estão a trabalhar em Lisboa, na montagem da mostra.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: