P.A.M. – Património, Artes e Museus

Início » ciencia » Nasceu o primeiro abutre-negro no Alentejo em 40 anos

Nasceu o primeiro abutre-negro no Alentejo em 40 anos


Via

E ao fim de quase três meses, a cria saiu do ovo

Em finais de Março, surgiu a boa nova de que um casal da espécie em risco de extinção tinha posto um ovo.

Este eclodiu agora.

Maior ave de rapina da Europa ocupou dois ninhos artificiais instalados na Herdade da Contenda,pela Liga para a Protecção da Natureza há três anos, em Moura.

Um dos ovos postos por um de dois casais de abutre-preto, que ali nidificaram pela primeira vez em 40 anos, acabou por eclodir recentemente.

O anúncio foi feito pela Liga para a Protecção Natureza (LPN), para quem “este nascimento confirma o tão aguardado início do restabelecimento de um núcleo reprodutor desta ave no sul de Portugal”.

Desde Março que os técnicos do projecto LIFE “Habitat Lince Abutre” – coordenado pela LPN, com a colaboração da empresa municipal que gere a herdade – monitorizavam o ninho onde houve postura. Dois dos 30 ninhos artificiais ali construídos no âmbito do projecto Life tinham sido escolhidos por duas das parelhas desta ave necrófaga e gregária que voam por ali.

Os ninhos foram colocados na Herdade da Contenda, um espaço que tem tentado demonstrar como as actividades económicas se podem contabilizar com a conservação da natureza Joana Bourgard

Como os abutres gostam de formar colónias e são fiéis ao sítio onde nasceram, a nova cria dá um novo alento ao projeto de conservação desta espécie, “Criticamente em Perigo”, e “marca o início do restabelecimento de um núcleo reprodutor da espécie no Alentejo, fundamental para a recuperação do abutre-preto em território nacional”, afirma a LPN no seu comunicado.

Actualmente a espécie apenas nidifica no Tejo Internacional e no Douro AFP PHOTO/ Jaime REINA

O Tejo Internacional e o Douro Internacional são as duas outras regiões onde o abutre-preto voltou a nidificar com sucesso em Portugal, desde 2010. No Tejo há 12 casais a nidificar e no Douro apenas um. O Alentejo tem agora dois casais reprodutores, um dos quais já demonstrou ser bem-sucedido.

A maior ave de rapina da Europa, que pode chegar a 2,80 metros de envergadura e 13 quilos de peso, tem um papel fundamental de limpeza de animais mortos nos campos, contribuindo para a salvaguarda da saúde pública.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: